Palestrante Especialista em Liderança

contato@soniajordao.com.br

Você é dodói?

Você reconhece um “dodói” de imediato através de alguns comportamentos padrões, como justificativas e desculpas, irritação e mágoa quando recebem algum feedback que não seja positivo, dificuldade em seguir um plano de trabalho... Por Scher Soares

Por Scher Soares

Você é Dodói? Você conhece alguém “dodói?” Sabe aquela pessoa toda dodói, que qualquer coisa irrita, chateia e magoa?

Estive pensando nisso durante estes dias em função de um episódio que ocorreu na empresa de um amigo há alguns anos atrás. Relataram-me que a referida empresa resolveu instalar uma máquina de ponto, já que, dentro do seu processo de expansão, necessitava organizar melhor os seus sistemas e processos. O curioso, é que mesmo tratando-se de um grupo de profissionais que alegavam maturidade, profissionalismo e etc, foi impressionante o impacto que o tal do sistema de ponto provocou no grupo, trazendo à tona o comportamento “dodói” que pelo visto já habitava as entranhas do comportamento da equipe e que, repentinamente, foi exposto diante de uma surpresa não gerenciável.

O sistema de ponto em si, nada mais é do que um veículo, uma forma de expressar um padrão de comportamento, que é expelido diante de um evento. O sistema de ponto serviu, além da sua função primordial, para promover um surto de auto e heteroconhecimento, pois foi diante da referida situação, que enxergamos de fato os comportamentos verdadeiros. Em verdade, o que emerge à percepção em um processo como este, é que pessoas muito “dodói” sinalizam que não pretendem ser incomodadas, não suportam regras simples dentro de qualquer contexto empresarial e preferem viver a vida em um ritmo cadenciado e confortável.

Os “dodóis” não suportam feedbacks e não gostam de planejamento, sistema e organização. Sentem-se desconfortáveis e magoados quando têm de seguir um plano de trabalho sério e pautado em resultados, pois gostam de fazer as coisas de forma despretensiosa; Quando querem fazer, ótimo, mas se não estão muito a fim de fazer, preferem ir fazer outra coisa qualquer, algo que estejam com vontade de fazer naquele momento. São adeptos da dispersão, pois como costumam fazer apenas o que “dá na telha”, flutuam de uma coisa a outra sem qualquer preocupação com as metas e os resultados.

Você reconhece um “dodói” de imediato através de alguns comportamentos padrões, como justificativas e desculpas, irritação e mágoa quando recebem algum feedback que não seja positivo, dificuldade em seguir um plano de trabalho, super estima do volume de coisas que tem a fazer, e etc. Reclamam que têm de acordar cedo. Reclamam quando necessitam ficar até um pouco mais tarde. Superestimam tudo o que fazem e subestimam tudo o que deixam de fazer. O incrível deste padrão de comportamento, é que as pessoas “dodóis” agem como se o mundo tivesse de obedecê-las, pois, aparentemente, são elas que estão sempre certas em tudo o que lhe convêm. Normalmente, tornam-se vítimas da sua própria vaidade.

Sabe aquela empresa do começo deste artigo? Pois é, esta empresa cresceu e muito. Tornou-se um dos maiores conglomerados empresariais deste país e olhem que interessante: atualmente, no seu quadro de diretores e também no conselho de administração, existem pessoas que estavam lá desde o início, desde a época da instalação da máquina de ponto. E quanto aos que permaneceram “dodóis?” Estes não permaneceram na empresa.

Conquistar objetivos, transformar sonhos em realidade e realizar-se nesta vida. Passar do discurso à ação. Este é o desafio que propomos para quem deseja gerenciar sua própria vida. Você não fica “dodói” por conta disso, não é?

Sucesso Sempre!

Scher Soares é palestrante e consultor de treinamento da Triunfo Consultoria, Palestras e Treinamentos, uma empresa de soluções e resultados em treinamento.

E-mail: scher.soares@grupotriunfo.com

Site: www.scher.com.br 



Compartilhe: